• A construção, a mulher e a saúde
    v. 2 n. 37 (2023)

    O Controle do Estoque descrito no artigo “Controle de estoque, sob a perspectiva da Administração e Ciências Contábeis” mostra a importância do gestor em analisar as reais relevâncias para se obter melhores resultados de controle. Entretanto, a má gestão de proprietários pode desencadear dificuldades para o empreendimento, principalmente nas pequenas empresas. Por outro lado, a figura de um administrador e contador com uma visão holística é assertiva de bons controles de estoques, sendo fundamental para o sucesso econômico-financeiro das organizações comerciais.

    É na Construção Civil (CC) que se vislumbra a necessidade de controle de estoques, observadas nas descrições do artigo “Senador Canedo-GO: consequências da pandemia sobre a Construção Habitacional”. Nesse artigo, foram realizadas pesquisas de campo durante a pandemia da Covid-19, o que permitiu verificar as alterações no cotidiano das empresas e perceber que a CC se adaptou, mantendo os trabalhadores das obras já iniciadas saudáveis e assim prosseguiram durante todo o período de disseminação do vírus.

    Mas é nessa jornada que se observa o quanto a mulher brasileira está inserida nos diferentes mercados de trabalho e mostra as barreiras ao labor feminino, e no Brasil são maioria. Enfrentam desafios na sua valorização profissional, no alcance de bons cargos e nas desigualdades dos espaços corporativos. É nessa construção de um retrato da estrutura produtiva, do trabalho e do rendimento deste segmento no País que as brasileiras também se destacam.

    Na sequência, o artigo “O alcance das normas ambientais na gestão das empresas”, traz uma percepão sobre as entidades que aplicam a sustentabilidade ambiental, sistematizam as normas e leis ambientais regentes no País, com vistas à proteção da natureza e à saúde da sociedade.

    A saúde da sociedade é descrita no artigo “A necessidade da atenção farmacêutica na Hipertensão Arterial Sistêmica-HAS”, mostrando que a adesão ao tratamento, assim como o uso correto dos medicamentos, são fatores preponderantes para o sucesso terapêutico. O profissional farmacêutico orienta o uso correto dos medicamentos com vistas a evitar a superdosagem, horários errados, uso inadequado. Quando a medicação é associada a um estilo de vida saudável, tem-se um resultado significativo para o paciente.

    Finaliza-se com a apresentação de três resenhas sobre três obras distintas e conclui-se com a citação de Divaldo Franco, o “livro é um amigo silencioso para as horas difíceis da nossa existência”. Assim, a Revista Ciências & Tecnologia, da Faculdade Delta, completa 2023 com artigos sobre a temática da ‘Construção’, da ‘Mulher no mercado de trabalho’ e a ‘Saúde da sociedade no que tange à Hipertensão Arterial Sistêmica’.

     

    Obrigada aos autores, avaliadores, colaboradores e leitores.

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • O meio ambiente que significamos
    v. 1 n. 36 (2023)

    O meio ambiente, que significa ‘andar ao redor’, refere-se àquilo que cerca todos os seres vivos. É com essa vertente que o editorial deste semestre, associado ao curso de Pedagogia da faculdade Delta, homenageia o direcionamento que discentes pedagogas deram para as orientações prático-pedagógicas às crianças do Ensino Fundamental. Numa abordagem de construir olhando para a natureza de forma harmônica com a Arte fizeram com que o ‘olhar de todos os participantes’ colaborasse com a criação artística que há dentro de cada desenvolvimento humano na fase de criança.

    A descoberta do fogo trouxe ao período pré-histórico uma das artes mais importantes para a evolução da humanidade, a fricção entre duas pedras, uma contra a outra, reproduzindo uma faísca, que antes era vista como um fenômeno natural de suas cavernas, e que agora não precisava esperar um raio cair em árvores para obter fogo. O seu domínio trouxe, além de benefícios, malefícios para a natureza e ao homem. O fogo realizado de forma inconsciente leva às queimadas e incêndios florestais, empobrecimento do solo, extinção de animais, seca das nascentes, poluição do ar, surgimento de doenças e aquecimento global. Esses, são alguns dos males presentes na Terra após tanta interferência humana por benefícios particulares. É nessa abordagem que se deve ler o artigo “O ser humano e o domínio do fogo”.

    Com a arte do fogo o homem percebeu a necessidade de fritar os alimentos com a gordura animal em suas culinárias, facilitando a mastigação. A evolução da espécie humana levou a novas descobertas e usos, o que desencadeou a problemática ambiental que tem sido cada vez mais preocupante, a exemplo, os derramamentos de óleo nos corpos d’água. Mas práticas sustentáveis e orientações específicas podem minimizar os impactos do uso de óleo de cozinha e é com a descrição do artigo “Óleo de cada dia e ações para proteção ambiental” que se pode conhecer sobre o assunto.  

    No ambiente há, também, flores e foram as imagens do “Os jardins de Monet em Giverny” que inspiraram a idealização e criação da importância de trabalhar a jardinagem com as crianças desde a educação infantil, mostrando na prática o plantio e a relevância das plantas para o bem-estar de todos os seres vivos. O artigo “Jardinagem nos anos iniciais” começou com o vislumbre da pintura de Claude Monet em Paris e concluiu-se com o lindo poema ‘Leilão de Jardim’, de Cecília Meireles, jornalista, pintora, poetisa, escritora e professora brasileira.

     

    A realização de um jardim deve ser ancorada em estímulos que faz do ofício agradável momento de criação e foi com a disciplina “Didática e Formação de Professores”, por indicações da prof.ª Me. Débora Mirtes dos Santos Ravagnani Dias, que se teve a ideia de disseminar a sementinha da arte. A exemplo, foram demonstrados os trabalhos da artista Flora Forager que idealizou em suas obras o retrato da artista Frida Kahlo e “Pássaro de fogo” que faz lembrar uma frase, ícone: pés, para que os quero, se tenho asas para voar (Frida Kahlo). Essas ideias culminaram com o artigo “O poder das sementes para alunos do Ensino Fundamental”, pois o uso das sementes, independente do resultado obtido após seu plantio, nunca deixará de ter utilidade para os seres vivos, sendo a instituição escolar, o local onde se forma adultos responsáveis, capazes de tomar decisões e desenvolver sua criticidade por meio das experiências entre os estudantes e o professor.

     

    O plantio com sementes ou outras formas de florescimento favorecem alimentos que podem ser consumidos como meio de subsistência, ser doados ou vendidos em supermercados ou em feiras livres, fato importante para a alimentação de inúmeras populações. Mas são nas feiras livres que se conhece a cultura de uma cidade, além de funções, organização e o meio ambiente deixado após o ofício. Foi pensando nessa sequência que o artigo “Feiras livres: uma cultura urbana”, descreve esse espaço urbano como fonte de abastecimento alimentar e gêneros diversos, validando sua importância econômica e social, e é geralmente utilizada pela sociedade para comprar produtos indispensáveis às suas necessidades diárias.

     

    São nos espaços populacionais que também se percebe a diversa quantidade de resíduos jogados no meio ambiente, nas ruas, praças, nos rios, dentre outros. Foi pensando nesses resíduos que o texto do artigo “Abordagem sobre reciclagem e o meio ambiente” vem abordar a importância da reciclagem dos resíduos e a ação ecológica para diminuir o impacto causado ao meio ambiente, os 5Rs e os processos de reciclagem, além de influenciar economicamente e gerar empregos para muitas famílias.

     

    Assim, a Revista Ciências & Tecnologia da Faculdade Delta inicia 2023 com artigos que revelam a importância do meio ambiente e projetos pedagógicos que estimulam alunos do Ensino Fundamental a pensar, participar, criar, recriar para tornarem cidadãos colaborativos e modificadores em prol do meio em que vivem, respeitando a necessidade da comunicação de diversas formas.

     

    Obrigada aos autores, avaliadores, colaboradores e leitores,

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • A comunicação e a relação com o mundo
    v. 2 n. 35 (2022)

    A comunicação é a principal de relação para haver crescimento da humanidade e é nesse caminho que o artigo “Trajetória social, família e escola versus meio ambiente”, aborda sobre a importância da comunicação na preservação ambiental. Porém, sabe-se que esse é o fator que leva o homem a contar suas diversas histórias, conforme vistas nas descrições dos artigos desta edição.

     O Brasil, desde 1555, já demonstrava o Estado Laico que ia se tornar. A religião católica, apesar de ser mantida como a religião do Estado, não encontra respaldo na Constituição Brasileira, que reconhece as mais diversas manifestações religiosas. Dentre essas, o protestantismo cresceu. Uma retrospectiva dessa trajetória é observada em “Introdução ao protestantismo no Brasil: justiça e misericórdia”

     Hoje, sabe-se que tantas outras evoluções aconteceram no mundo e a nação brasileira se renova diariamente com os progressos das leis e atitudes do nascimento. Sobre as leis, são observados dois artigos. O primeiro, “Análise da exclusão social ligada à criminalidade e à ressocialização”, mostra as normas e leis que devem contribuir de forma adequada para a inserção social da população ex-presidiária, e o que pode ser feito para melhorar essa efetivação; o segundo, “A imagem da mulher vítima de violência doméstica”, descreve sobre um grande desenvolvimento positivo de políticas, assim como órgãos policiais para haver uma maior defesa das mulheres, sendo considerado um trabalho árduo. Para ser realizado em sua totalidade, deve-se fazer as denúncias dos algozes. Complementando as atitudes e procedimentos, destaca-se o texto “Evolução histórica do parto humanizado”, seus avanços e melhorias na atenção ao parto e nascimento associado à sociedade que está diariamente envolvida com conhecimentos, práticas e atitudes que buscam a promoção do parto e nascimento saudáveis.

     Há momentos destacados nas diferentes evoluções humana, como os atos de aprender a escrever e a olhar o mundo de forma numérica, em suas finanças. Isso é desenvolvido no artigo “Juvenilização na Educação de Jovens e Adultos (EJA) [...]”, ao avaliarem 50 estudantes que são, antes, trabalhadores, categoria essencial para compreender-se marcas do processo de ensino/aprendizagem. Esses, ao concluírem o Ensino Médio, há um aumento da autoestima, permitindo melhorar o desempenho profissional e a visão da vida e do mundo. No que tange às formas numéricas, “Análise dos indicadores financeiros [...]”, mostra que a era tecnológica trouxe avanços que facilitam o cotidiano das pessoas e que no ramo financeiro essa evolução se apresentou no surgimento de bancos digitais, instituições financeiras que não possuem agências físicas, mas aplicativos.

     Assim, a Revista Ciências & Tecnologia da Faculdade Delta, termina 2022 com artigos que revelam para a sociedade, o quanto se modifica ao longo das trajetórias, mas para se manter há necessidade da comunicação ativa de diversas formas.

     

    Gratidão aos nossos autores, avaliadores, colaboradores e leitores,

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • Somos "a história!"
    v. 1 n. 34 (2022)

    Nesta edição da Revista Gestão & Tecnologia, destaca-se o tempo histórico, e as mudanças das sociedades humanas, marcada pela descrição da luta dos trabalhadores na Revolução Industrial iniciada na Inglaterra. Nesse contexto é descrito o conjunto de transformações nas indústrias, na agricultura, no transporte, nos bancos, no comércio e também nas comunicações, culminando com o desenvolvimento das nações, com as mudanças de hábitos e inovações tecnológicos. Mas, destaca-se que esse período foi de grande sofrimento aos mais necessitados, pois milhares de vida e projetos familiares foram ceifados, e dessa forma, revelou-se o verdadeiro comportamento socioeconômica da história do homem. Nessa vertente, as “Memórias das Histórias”, foram acentuadas na “Semana Multidisciplinar da Instituição Faculdade Delta, com narrativas sobre a memória pessoal e os variados comportamento em diferentes etapas cronológicas. Também nesta edição, foi conhecida as descrições observadas com as ocupações em áreas verdes da cidade de Goiânia (Goiás/Brasil), desde a década de 1930, considerando o papel de interesses privados e também do marketing, sendo desse modo, o homem descrito como agente da sua própria história.

    Nessa tendência, consta o papel do professor no contexto da educação inclusiva, sendo esse profissional protagonista da história, apresentado através de ações pedagógicas acolhedoras que atendem os alunos com deficiência no Ensino Regular. O objeto é que o educando possa se desenvolver como sujeito e sua história seja mais humanizada. Associado à assistência humanizada, o panorama dessa conduta é narrado através de aspectos físicos, emocionais e socioculturais, bem como na individualidade e integralidade de cada mulher. Nesse sentido foi destacado o papel da Enfermagem no cuidado da mulher em um momento frágil e forte de sua vida, que é o parto. Nesta edição evidencia ainda, que as histórias são para todos e todas, independentemente da escolha do gênero. Essa é a história em formato de relato de experiência contado em um consultório na rua, que descreve o cuidado com as mulheres transgênero, e que propõe uma reflexão para entender esse público que se apresenta em estado de vulnerabilidades e com grandes barreiras de acesso à saúde.

    Assim, mais uma vez a Revista Ciências & Tecnologia da Faculdade Delta, contribui com artigos que revelam a história diária da sociedade, suas condutas e evolução humana.

     

    Gratidão aos nossos autores, avaliadores, colaboradores e leitores.

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • Um olhar multidisciplinar
    v. 2 n. 33 (2021)

    Nosso editorial se inicia agradecendo a todos os colaboradores da Revista
    Gestão & Tecnologia que trabalharam no ano letivo 2021/2. Seguimos
    na finalização de mais um semestre, vencendo juntos a Pandemia da
    Covid-19.
    Nesta edição, destaca-se os cuidados aos idosos e à assistência humanizada
    para essa idade tão importante da fase humana, ressaltando que os familiares
    dessas pessoas também precisam de acolhimento. Ainda nesta editoria, evidencia-se a atenção às instabilidades emocionais e à intervenção da escola durante
    a infância.
    Além disso, trazemos um reforço sobre como a Administração tem o seu
    papel destacado em todos os setores e o quanto a sua ação se faz necessária para
    propor caminhos e procedimentos que levam ao sucesso econômico-financeiro
    de uma organização. Associadas as essas ações, a Contabilidade revela ferramentas de análise custo/volume/lucro usual de gestão de custos, globalização e
    também da evolução do processo produtivo.
    No que tange aos processos evolutivos, percebe-se que às necessidades das
    ciclovias durante o período pandêmico foi extremamente importante para a visibilidade, pois desse modo, os trajetos facilitaram o deslocamento de parte da
    população, evitando assim, uma maior transmissão da Covid-19.
    Diante de inúmeras modificações, no município de Goiânia foi possível destacar durante quatro meses, a variabilidade do comportamento pluviométrico
    desse índice.
    Acrescenta-se ainda, que os vários meios colaboraram para o processo de
    criatividade, inovação e sobrevivência no mercado de trabalho, como exemplo
    as experiências compartilhadas na Semana Multidisciplinar da Faculdade Delta
    - Goiânia, Brasil.
    Com tais temáticas, encerramos mais uma edição, convictos de que termos
    um ano ainda cheio de grandes oportunidades.
    Grata.

     

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha.
    Editora Chefe da Revista Gestão & Tecnologia

  • Educação na Pandemia
    v. 1 n. 32 (2021)

    Em tempos da pandemia da Covid-19, as escolas estão realizando atividades no formato on-line, e uma das ferramentas utilizadas pelos educadores foi a apresentação dos brinquedos dos alunos para os colegas de classe. A Revista Gestão & Tecnologia descreve a importância dessa atividade em todas as fases do desenvolvimento da criança, pois o brinquedo proporciona um melhor desenvolvimento simbólico, estimula a imaginação, a capacidade de raciocínio e a autoestima dos discentes.

    Entretanto, sabe-se que o estímulo de brincar não é o suficiente, e por esse motivo outras percepções devem ser levantadas durante o processo de desenvolvimento da criança. Há necessidade de a criança ser observada constantemente num olhar pedagógico, fato que muitas famílias se perdem, pois com a rotina árdua para manutenção, vários pais se esquecem de observar certos comportamentos que a criança vem apresentando. Diante disso, a abordagem de transtornos de ansiedade e depressão no ambiente escolar, mostra que as instituições de ensino devem ser uma aliada no enfrentamento a crescente ou agravante número de pessoas com ansiedade e depressão, inclusive em crianças e adolescentes, corroborando para evitar danos mais profundos quando evoluírem para a fase adulta.   

    Percebe-se que um problema mal resolvido, desencadeia ao longo da vida do ser humano, um sofrimento psíquico, e se manifesta entre a vida pessoal e laboral, fato descrito em revisão que tange este assunto. Mas, a pessoa com qualquer tipo de sofrimento pode ser atendida em unidades hospitalares com critérios específicos, utilizando o Protocolo de Manchester. Esse sistema classificatório visa ações de atenção e gestão que incentivem um relacionamento de confiança entre equipes, clientes e serviços de saúde. Nessa referência, a adição de profissional no mercado deve ser em condições compatíveis com a sua formação, pois configura-se uma promessa de futuro, tanto por parte do sistema de ensino, quanto na profissão que venha a exercer.

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • 2020: que ano!
    v. 2 n. 31 (2020)

    2020: que ano!

    É perceptível que 2020 veio para mostrar muitos deficits mundiais sobre as condições de saúde da população, principalmente idosa, a chamada terceira idade, sobreposta na maioria das comunidades. Prevenção é a palavra de ordem atualmente, e estudos mostram que prevenir sempre será a melhor conduta.

     

    Uma outra vertente ressaltada é o atendimento e educação especial, outra população extremamente carente de atenção. Por que não dizer que as nossas crianças também se tornaram mais do que especiais durante a pandemia? Nesse momento, houve um esforço dos cuidadores para garantir o entretenimento, utilizando inclusive, jogos educativos disponibilizados na internet.

     

    No entanto, a disponibilidade de acesso à internet não foi para todos. Situações monetárias mostraram a desigualdade social em muitas comunidades. Temos o exemplo do Bitcoin, que de acordo com alguns estudos, é uma criptomoeda descentralizada, anônima e segura, assim como a moeda virtual.

     

    Diante de tantos dissabores sociais, as mulheres foram mais vítimas de violências nesse período, e no âmbito jurídico, houve recorde de denúncias, demonstrando que mesmo com a Covid-19, o coagimento e o constrangimento a sua liberdade permaneceu inalterada.

     

    Apesar das fissuras e dos sangramentos sociais ainda pendurarem, outros cuidados e tratamentos devem ser relembrados no que tange a dermatite de contato pelos derivados do petróleo, que ocorre pela pele, vias respiratória e oral. As orientações da Enfermagem devem servir como base para a saúde da mulher e também do trabalhador, estabelecendo assim, os primeiros socorros e a educação rotineira na conduta dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), respectivamente. Anjos existem!

     

    O Investidor-anjo, introduzido ao Simples Nacional por meio da Lei complementar n°155, de 27 de outubro de 2016, traz em seu bojo, o Investidor-anjo. O conhecimento em empresas incubadas sobre o tema, incentivam a obter mais conhecimentos e informações, que são benécias e trazem, diariamente, modificações em incubadoras desse assunto.

     

    De janeiro a dezembro de 2020, alterações ocorreram, como: precipitações, temperaturas, evapotranspirações, queimadas, incêndios, variáveis meteorológicas, entre outras, explicando dessa forma, as inúmeras anomalias que ocorrem em diversas regiões.

     

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • 2020 o ano da Pandemia do Coronavírus
    v. 1 n. 30 (2020)

    2020 o ano da Pandemia do Coronavírus

    A notícia no final de 2019 mostra um surto causado pelo novo coronavírua (SRA-CoV-2, coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2), que desencadeou a Covid-19 (do inglês COrona VIrus Disease 2019). A doença infecciosa se espelhou entre os moradores de Wuhan, capital de Hubei, na República Popular da China. A Covid-19 tem, entre seus sintomas, febre, tosse e falta de ar, além de uma grande dificuldade ao respirar, em alguns casos seguido de pneumonia. Wuhan foi o primeiro epicentro do surto, e assim o mundo foi aprendendo com a China sobre o novo surto.

    Confirmada a transmissão entre humanos, a “nova pneumonia” seguiu para uma epidemia em Wuhan e teve a primeira morte declarada no dia 11 de janeiro de 2020. Em 23 de janeiro do ano de 2020, a província se fechou para o mundo, pois foi decretado a primeira quarentena da Covid-19. A medida foi correta e pensava-se que ficaria restrito na China, “puro engano do pensamento de todos”. De acordo com o boletim da World Health Organization (Organização Mundial da Saúde - OMS), em 11 de fevereiro de 2020, foi anunciado a nova doença de coronavírus: COVID-19.

    No dia 13 de fevereiro de 2020, pessoas infectadas assintomáticas começaram a transmitir a doença para outras pessoas, divulgava a Cable News Network (CNN; Rede de Notícias a Cabo) com as afirmativas de Robert Redfield, o diretor do Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, Centers for Disease Control and Prevention).

    Novos casos foram confirmados também na Europa, a exemplo da França com o primeiro caso. No entanto, a Itália mostrou ao mundo os inúmeros casos que assolaram o território e a angústia dos sepultamentos do seu povo; além de retratar a quantidade de profissionais de saúde que estão no esgotamento total de suas forças. Enquanto isso, a China trabalhava incansavelmente para salvar vidas.

    Em 24 de fevereiro de 2020, o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, enfatizou que - ‘não há espaço para estigma e discriminação, devemos ser guiados por intervenções baseadas na ciência e nos direitos humanos’. Nesse mesmo dia, especialistas da OMS e o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) se concentrou em compreender como os eventos se desenvolveram, aprender com a experiência italiana e apoiar os esforços de controle e prevenção das autoridades.

    Porém, escutou-se da OMS o que não queria-se acreditar: de uma epidemia, saltou-se para mais uma pandemia do século XXI.

    Em 11 de março de 2020, a OMS declarou oficialmente a Covid-19 como uma Pandemia. Dessa forma, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, divulgou ao mundo em redes – ‘A descrição da situação como uma pandemia não altera a avaliação da OMS da ameaça representada por esse vírus’. Isso não mudou o que a OMS está fazendo e o que os países devem fazer’. Também, Michael Ryan, diretor-executivo do programa de emergência da OMS, ressaltou que, - ‘A declaração de uma pandemia não é como a de uma emergência internacional – é uma caracterização ou descrição de uma situação, não é uma mudança de uma situação (...). Não é hora para os países seguirem apenas para a mitigação’.

    Desde então, um pequeno ser (o vírus) percorre o globo terrestre, chega até as residências, isola e deixa as pessoas temerosas. As palavras de ordens são: fique em casa, lave as mãos com água e sabão, utilize álcool a 70% ou álcool gel (conforme padronização química) e use máscaras. Também não se pode esquecer que após usar as máscaras, as mesmas devem ser lavadas com água e sabão e água sanitária, ou se for descartar, nunca deve ser feito no meio ambiente sem o acondicionamento adequado ou junto ao lixo doméstico, pois pode contaminar inúmeros garis ou pessoas que trabalham em reciclagem.

    Sabe-se que os cuidados com a higiene são fundamentais para bloquear a disseminação do vírus SRA-CoV-2. Entretanto, de acordo com a Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), mundialmente dois a cada cinco pessoas, não têm acesso a água. Segundo divulgação do Trata Brasil, no Brasil 16,38% da população não tem acesso ao abastecimento de água, o que representa quase 35 milhões de pessoas – 3x a população de Portugal.

    O “fica em casa” somente não se restringe aos profissionais da saúde, pois os mesmos devem sair para a labuta. A saúde mental decaiu, pois, a prevenção do estresse, depressão e ansiedade durante a jornada de trabalho exaustivo, não ocorria. As notificações de casos por coronavírus passou a ser recorrente entre esses profissionais, com registro inclusive de mortes.

    Enquanto fazia-se os cuidados individuais, ilustres visitantes apareciam mundialmente, eram de diferentes espécies e deu-nos inúmeras alegrias com vídeos e fotos em ambientes diversos.

    As aulas passaram a ser ministradas online e nunca se escutou tantas lives. A Educação a Distância prevaleceu como a mais nova ordem mundial.

    A caridade, também, se fez mais presente, pois essa “é a pandemia da solidariedade”. Porém, muitos utilizaram desse momento para a promoção do ego e divulgação própria, dando nome de caridade.

    A comunicação teve que ser rápida, acessível e necessária a todos. Desenvolver a Comunicação Pessoal (DCP) passou a ser o termômetro da gestão durante a pandemia. O marketing de vendas no ambiente virtual, com os investimentos em sites próprios e redes sociais, aumentaram.

    Os esforços globais para conter a Covid-19, em inúmeros países, eram e são orientados pela OMS, no entanto poucos governos não aceitavam que o contágio era eminente. Em 19 de março de 2020, a Organização das Nações Unidas (ONU) pediu solidariedade, esperança e vontade política para os líderes mundiais – ‘Todo o governo deveria estar envolvido’.

    Diante de tantas verdades, desafios e incertezas por ainda percorrer, uma certeza se tem: é nos solidarizar e apoiar os profissionais de saúde da linha de frente, pois são eles que tentam deter o vírus e estão salvando vidas, mesmos sabendo o extremo que a Covid-19 exerce sobre os sistemas de saúde mundialmente.

    Não se pode esquecer que é com o esforço da solidariedade e da ciência, que no futuro próximo, todos estarão se abraçando e sorrindo, próprio da natureza humana.

     

     

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    EDITORA-CHEFE

  • Ao Microempreendedor Individual o mais visível no Brasil Nossos Parabéns
    v. 2 n. 29 (2019)

    A crise financeira no Brasil desencadeou o aumentou do desemprego em todo o território nacional. De acordo com o Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE, 2019, p. s/n), “o desemprego se refere às pessoas com idade para trabalhar que não estão trabalhando, mas estão disponíveis e tentam encontrar trabalho”.

    O desemprego refere-se às pessoas com idade para trabalhar e que no momento, estão inativos, no entanto estão disponíveis e tentam encontrar trabalho.

    Interessante destacar que a crise despertou o crescimento da esfera do empreendedorismo, e o brasileiro tem demonstrado grande inclinação e vontade para empreender, passando a ser uma opção para muitas pessoas.

    Foi com a Lei Complementar nº 123/2006 -(Lei Geral da Micro e Pequena Empresa) que Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, também conhecido como a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Mas, foi somente com a nova Lei Complementar nº 128/2008, que criou-se a figura do Microempreendedor Individual - MEI modificando as partes da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/2006).

    Desde a metade da década de 2000, milhões de pessoas se registraram como Microempreendedor individual (MEI), demonstrando alternativa de renda, levando a criação de oportunidades e o prosseguimento de novos negócios.

    Os setores que mais se destacaram foram os de higiene e embelezamento pessoal, serviços de alimentação, reparos e manutenções de prédios e comércio de confecções em geral. Ano a ano, esses setores foram se destacaram e alteraram os seus ranckings.

    No que tange a liderança absoluta, o Sudeste, seguido da Região Sul, apresentaram maiores rankings. Em relação aos demais rankings brasileiros, o Nordeste, o Centro-Oeste e o Norte, estão nesses seguimentos.

    O Portal do Empreendedor mostra que em 2009, o número de Microempreendedor era de 44.188 e dez anos depois (julho de 2019) atingiu 8.616.055. Nos últimos cinco anos, o número de MEI cresceu mais de 120%

    Em 2019, esse número de MEI cresceu 13% no terceiro trimestre, em ralação aos três meses anteriores, sendo que no país cresceu 11,5% o total do número de novas empresas.

    O microempreendedor mostra uma energia incansável, ultrapassa várias barreiras e luta diariamente para conseguir prosperar. Dessa forma, essas pessoas tentam recuperar a economia do país. No entanto, mesmo que a economia volte a se estabilizar, esse Grande Agente Atual, aqueles que se estabilizaram, provavelmente se tornarão empreendedores, abrindo mais portas para aquele que tanto precisam de laborar dignamente no Brasil.

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    Editora Chefe da Revista Gestão & Tecnologia

     

    BIBLIOGRAFIA

    CORREIO BRASILIENSE. Economia. Disponível em: <https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2019/06/24/internas_economia,765139/microempreendedores-individuais-ja-sao-mais-de-8-milhoes.shtml>. Acesso em: 23 dez. 2019.

    ESTADÃO. Economia & Negócios. Disponível em: <https://economia.estadao.com.br/blogs/coluna-do-broad/com-desemprego-numero-de-microempreendedor-cresce-13-no-3tri19/>. Acesso em: 23 dez. 2019.

     INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTATÍSTICA E GEOGRAFIA - IBGE. Variação trimestral no Brasil. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/indicadores#desemprego>. Acesso em: 17 dez. 2019.

     SERASA EXPERIAN. A cada 10 segundos nasce um MEI no Brasil.

    Disponível em: < https://www.serasaexperian.com.br/sala-de-imprensa/a-cada-10-segundos-nasce-um-mei-no-brasil-revela-serasa-experian>. Acesso em: 23 dez. 2019.

     PORTAL DO EMPREENDEDOR-MEI. Legislação – Leis e Decretos. Disponível em: <https://www.portaldoempreendedor.gov.br/legislacao>. Acesso em: 23 dez. 2019.

  • A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
    v. 1 n. 28 (2019)

    O homem já era um ser comunicável e social quando realizou os primeiros registros na caverna. Seus desenhos demarcavam os animais, as mulheres, os homens, suas lutas e a natureza que os rodeavam.
    Essa forma de inscrição mostra o quanto o homem necessita de expressar e mostrar-se a outro para que possa ser entendido.
    O homem criado, criatura e criador, com a sua evolução, foi transformando o mundo com a arte, história, a luta em sobreviver com derrotas e vitórias, o medo, a angústia e as perspectivas de um amanhã melhor, e porque não dizer que o homem foi se educando diariamente. É importante ressaltar que a historicidade do homem, se educando, revela o sentido do seu presente para estruturar o futuro.
    A marcha educacional está atrelada as emergências de cada sociedade, como foi registrado nas sociedades Primitivas, Antigas, Medieval e Moderna, com destaque para o Renascimento.
    De uma forma espontânea o homem rupestre e neolítico, expressou seus sentimentos de caça, da natureza, de ritualismo religioso e da vida animal com as mais diversas cores extraídas genuinamente da natureza, além de animais esculpidos mostrando o seu elevado nível cultural e com divisão de trabalho.
    Com o desenvolvimento das primeiras civilizações, a relação ensino versus aprendizagem desperta a transformação dessa ligação.
    Na Antiguidade, civilização como Chinesa e Indiana (Oriente), Egípcia e Mesopotâmia (Oriente Próximo), Greco-Romana (Ocidente), Maias, Astecas, Incas e Olmecas (Continente Americano), Fenícios, Hebreus, Celta, já sofriam transformações mais científicas e especializadas em seus objetivos e métodos.
    Com a origem da escrita, do Estado e da urbanização, historiador, etnógrafo, antropólogo, geografo, filósofo, sociólogo e tantas outras profissões, galgaram em suas particularidades e seus objetivos, sempre procurando educar cada provo, levando conhecimentos e divulgando o seu saber.
    A partir do surgimento da escrita (3.500 a.C, hieróglifo), foi criado escolas para o povo, com bibliotecas e aplicação prática do conhecimento, com ênfase na astrologia. Arquitetos, médicos e engenheiros foram formados. No início, a educação era marcada com forte teor religioso, pois acontecia nos templos, sinagogas, além de ser professadas pelos profetas ou sabedores das leis, como filósofos e religiosos. Nessa época a educação era reservada aos militares, altos funcionários e sacerdotes. A proposta pedagógica estava voltada para a cada civilização.
    O homem, ao interrogar sobre as suas origens e sobre o princípio de tudo, ele buscou a explicação da razão, e foi nessa vertente que surgiu a matemática, a geometria e a astronomia. Pouco a pouco, o homem foi se tornando um cidadão, com princípio da educação para cada civilização, e porque não dizer que para os tempos atuais, a Educação é Global.
    A palavra Educação nos remete as sucessivas descobertas e ideias genuínas, que vem da espécie Homo sapiens, esse homem que pode construir o seu povo estimulando o crescimento de ideias e atos bons, sem precisar de armas para combater o mal. Portanto, a melhor arma que um líder pode oferecer, será sempre um livro, uma conduta, as boas maneiras, a construção de locais educativos e promissores, para que a sua obra não seja esquecida. Assim deve caminhar a humanidade e a Nação.

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha.
    Editora Chefe da Revista Gestão & Tecnologia

  • Ano VII, Edição 27 Jul/Dez 2018
    v. 2 n. 27 (2018)

    A Faculdade DELTA completou 10 anos de atividades para o progresso da Educação Brasileira. Em 2009 foi lançado o primeiro volume da Revista Gestão & Tecnologia sob a responsabilidade da Msc. Daniele Lopes Oliveira (Editora Chefe), onde seguiu com suas atividades até 2014, ano da última publicação da revista.

    Três anos e meio se passaram com a ausência de publicações e hoje a Faculdade Delta reinaugura sua revista com um novo quadro de avaliadores científicos de alto gabarito e com a conduta e seriedade de publicações que a ciência precisa ter. Também foi reformulada as diretrizes para o envio dos artigos, passando a revista ser de caráter semestral.

    Nossa revista pautará com respeito aos nossos futuros apresentadores de artigos, sempre dentro do tempo estipulado conforme normas gerais. Os artigos recebidos pela Revista Gestão & Tecnologia serão gerenciados pelo Sistema Eletrônico de Revistas (SEER), que é um software desenvolvido para a construção e gestão de uma publicação periódica eletrônica.

    Finalizando, gostaria de agradecer aos avaliadores e correlatos que, generosamente, cedem seu tempo precioso, para essa re-inauguração da revista, sendo de importantíssimo e útil seu trabalho. Dessa forma estamos contribuindo para a missão da Faculdade DELTA, que é “Preparar pessoas para o Presente e o Futuro, qualificando profissionais éticos para o exercício pleno da cidadania e para o mercado de trabalho por meio de uma educação avançada, visando o desenvolvimento técnico-científico, social e cultural da cidade de Goiânia, do Estado de Goiás e do Brasil, na perspectiva do desenvolvimento sustentável e da integração com a sociedade”.

     

    Drª Lindomar Guedes Freire Filha

    (Editora Chefe)

  • Ética
    v. 1 n. 26 (2014)

    Conceituar ética seria uma tarefa imprudente, o que se pretende nessa abordagem é tão somente estabelecer uma visão do termo que é amplo, e por inúmeras vezes utilizado de forma precária e encontra-se vilipendiado pelo uso inadequado e pelo abuso da expressão. A palavra ética vem do grego ETHOS, que significa modo de ser, caráter. Em outra abordagem é a Ciência do Bem e do Mal.

  • Educação
    v. 1 n. 16 (2012)

    Registramos com o orgulho e satisfação o sucesso alcançado por esta revista. Sua grande receptividade entre os docentes e pesquisadores que militam nas diversas áreas da tecnologia e gestão, bem como entre os estudantes em busca de novidades em todas as ramificações da ciência, aumenta substancialmente nossa responsabilidade quanto ao conteúdo aqui apresentado de forma objetiva e com caráter científico. Com o propósito de continuar fornecendo elementos para um melhor entendimento nas áreas de gestão e tecnologia e acompanhamento do desenvolvimento científico, procedemos uma diversificação maior nos artigos apresentados nesta edição.

  • O Meio Ambiente
    v. 1 n. 5 (2009)

    O meio ambiente, é formado por uma complexidade de coisas vivas e não vivas que estão sobre a face da Terra, que afetam os ecossistemas e a vida humana. O conceito de meio ambiente pode ser identificado por seus componentes.

  • Gestão Ambiental
    v. 1 n. 4 (2009)

    Gestão Ambiental é a administração de atividades econômicas e sociais de forma a utilizar de maneira racional os recursos naturais, renováveis e não renováveis. A gestão ambiental deve visar o uso de práticas que garantam a conservação e preservação da biodiversidade. Como a reciclagem das matérias primas, bem como outras atividades que permitam a redução do impacto ambiental das atividades humanas sobre os recursos naturais. Fazem parte também do arcabouço de conhecimentos associados à gestão ambiental técnicas para a recuperação de áreas degradadas, técnicas de reflorestamento, métodos para a exploração sustentável de recursos naturais, e o estudo de riscos e impactos ambientais para a avaliação de novos empreendimentos ou ampliação de atividades produtivas.

  • Tecnologia e Meio-ambiente
    v. 1 n. 2 (2009)

    A combinação tecnologia  e meio-ambiente é uma tendência cada vez mais presente na nova ordem mundial e que vai acompanhar todos os processos e o desenvolvimento de novas técnicas em todos os setores da ciência. Para acompanhar esta tendência do desenvolvimento tecnológico, as pesquisas para o desenvolvimento pessoal acontecem num ritmo acelerado, trazendo novidades constantes no que se refere ao tratamento de dejetos.

  • A Propagação das Novas Tecnologias
    v. 1 n. 3 (2009)

    Nos  últimos anos temse observado o desenvolvimento contínuo da ciência, com a criação e incremento de novas metodologias, assim como o desafio que estamos enfrentando em manter o desenvolvimento social, econômico e tecnológico sem danificar o planeta. Para tanto, a revista, busca discutir os assuntos hodiernos em pauta e, ainda, apresentar propostas e soluções com o objetivo de alinhar os diversos óbices do discurso cientifico e, trazer para a sociedade, alternativas que busquem pelo menos dirimi-los ou aplacar seus impactos mais agressivos e lesivos à sociedade.

  • Revista Gestão & Tecnologia
    v. 1 n. 1 (2009)

    A necessidade de organizar os estabelecimentos nascidos após a revolução industrial levou os profissionais de diversas áreas do conhecimento à buscar soluções específicas para problemas que não existiam anteriormente. Assim a pesquisa de métodos especiais para gerir estes empreendimentos deu origem aos rudimentos da ciência administrativa.